comentar
publicado por maria mendonça, em 14.09.09 às 22:40link do post | favorito

Ouve-se, ouve-se tudo, Senhor Primeiro Ministro.....

Tanta preocupação com as regras, será que ele cumpre sempre as regras?? Ou será como a outra menina que prefere fazer batota para não perder.

 

 


comentar
publicado por maria mendonça, em 19.12.08 às 17:07link do post | favorito


O primeiro-ministro, José Sócrates, lamentou hoje que o Executivo tivesse ficado sozinho a lutar pela aplicação do processo de avaliação dos professores. "O Governo tem sido deixado sozinho nesta batalha apenas por ter defendido que quer um melhor sistema de ensino público para o país". (Via Público)

 

 

As coisas só chegaram a este ponto por culpa de ele próprio. Qualquer reforma só se realiza ouvindo as pessoas que estão no terreno, recuando e alterando quando é necessário. Só este Governo é que ainda não percebeu que não ouve ninguém, não admite opiniões diferentes e quer fazer vencer as suas ideias a todo custo, neste caso a custo de uma guerra com os professores e de humilhação. Depois num discurso de vitimização vem lamentar-se de estarem a trabalhar sozinhos. Afirmando mesmo que  sem a avaliação dos professores, isso contribuiria para o declínio do sistema de ensino público. Mas ouviu algum professor dizer que não quer ser avaliado, sempre foram avaliados, mas ele acha que não, apesar deste tempo todo continua a não saber o que diz. O declínio do ensino público já está a acontecer, desde o momento em que se defendeu um ensino de massas.

O tempo vai correndo e eu acredito que ainda haverá um terceiro simplex, e se calhar um quarto ou ainda mais... 

Às vezes quando brincamos com crianças sabemos que vão cair, bem as avisamos mas acabam por cair na mesma, só assim aprendem,  o mesmo se vai aplicar a este Governo.

 

 

 


comentar
publicado por maria mendonça, em 16.12.08 às 10:38link do post | favorito

Então, no outro dia 03/12/2008, Sócrates afirmou que em 2009 só iamos ter um ano em abundância, foi noticia de abertura de telejornais.

"As  famílias podiam esperar melhor rendimento em 2009", tendo em conta as baixas da taxa de juro, preço dos combustíveis e inflação. As famílias poderão esperar "ganhar poder de compra, como vão ganhar poder de compra os funcionários públicos, como não ganhavam há muitos anos".

 

E passados 12 dias, hoje vem dizer que 2009 será de “tempos difíceis” e pede “o melhor de todos”.

 

Agora não sei em que acreditar... estou confusa. Afirma, desmente com uma facilidade que me incomoda.

Pois  Sr. Sócrates, afinal sempre admite, aquilo que anda a tentar esconder de todos nós. A tentar maquilhar os Orçamentos de Estado para tentar esconder o verdadeiro défice. Mas também, com um ministro que foi  considerado o pior ministro das Finanças de 19 países da União Europeia, de é que estavamos à espera? Cada um tem o Governo que  merece. 

 

É por isto e por outras que apesar de afirmar que não anda atrás dos votos, ninguém já acredita. E a boa nova é que em 2009 há eleições!

 

 


 


comentar
publicado por maria mendonça, em 16.12.08 às 00:36link do post | favorito

O primeiro-ministro, José Sócrates, apelou hoje aos bancos para que emprestem mais dinheiro às empresas, de forma a reabilitar a economia em Portugal.

"Julgo que este é o momento adequado para fazer um apelo aos bancos para que reforcem as suas políticas de crédito e para que reforcem, se for caso disso, os seus capitais próprios para que possam servir a economia portuguesa", afirmou hoje o primeiro-ministro. Já Teixeira dos Santos tinha dito que : ”É preciso pressionar os bancos para que façam chegar o dinheiro às empresas” (Via Público)

 

O nosso primeiro deve saber que no mercado financeiro as coisas não funcionam desta forma. Se realmente está interessado em ajudar as empresas, é ao seu Governo que compete fazer algo. Reduza a carga fiscal e para começar pague o que deve. Pois sabemos que algumas empresas estão mal porque têm o  estado como devedor. Paga mal e a más horas, isso é do conhecimento público.  

 


comentar
publicado por maria mendonça, em 15.12.08 às 00:41link do post | favorito

José Sócrates , defendeu , este domingo, que a melhor forma de defender o emprego é através da formação dos portugueses, num discurso perante cerca de três centenas de pessoas na cerimónia de entrega de diplomas a dezenas de formandos do Centro de Formação Profissional do Seixal no âmbito do Programa Novas Oportunidades.
"Mais qualificações garantem mais emprego, mas garantem também a redução de desigualdades", disse José Sócrates, acrescentando que "Portugal é um país muito desigual e que uma boa sociedade é aquela que é menos desigual".  (via Correio da Manhã)

 

Desde que José Sócrates criou o programa novas oportunidades, as qualificações do portugueses dispararam. Mais qualificação deverá ser sinónimo de mais saber e mais competência, não sei se esses cursos resultam realmente num acréscimo de competências ou se são mais para a estatística.  

Agora, quanto a afirmar que mais qualificação garante mais empregos, que se pronunciem os milhares de desempregados licenciados, para quem o facto de ser licenciado lhes fecha muitas portas, pois têm qualificação a mais. 

 

 


pesquisar
 
Junho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim